quinta-feira, 21 de outubro de 2010

23h32

Não sei porquê você resolveu mudar de estrada, visto que nossas mãos só se desenlaçaram. Queria poder ainda olhar para o lado e lhe ver ali ou, melhor, aqui.
Será que você sabe o que eu ainda penso e como estou?
Mesmo que saiba, dói imaginar a negativa; que você não faz menção disso.
Hoje, depois de um alvoroço repentino, reparei que nunca tive vontade de trocar a senha. Isso, simbolicamente, poderia significar que você ainda possui, licitamente, algo de mim?
Bloqueou todos os caminhos para eu não conseguir retornar. Mas ainda carrego aquele pedacinho seu tão importante. E o melhor da gente, no coração.

[MB]

5 comentários:

  1. Você e seus textos cheios de poesia e sentimento!! :)
    O Miguel é um fofo! Mal posso esperar pra encontrá-lo de novo no fds! rs

    Quando você for assistir, me conta o que achou hein?!

    Beijinho, flor!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada pelo comentário. (:
    Adorei seu blog também.
    "o melhor da gente no coração"
    Gostei em especial dessa frase, ela me traz lembranças nostálgicas.
    Parabens pelo blog, e volte no meu sempre que puder

    ResponderExcluir
  3. Jorge Ricardo de Barros Makul21 de outubro de 2010 22:40

    Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  4. E a postagem foi 08:08!!!

    Como sempre, seus textos são lindos.
    Bjs.
    =*

    ResponderExcluir
  5. Que liiiindo, gente! Muito lindo mesmo, flor, adorei. Geralmente não gosto de dizer só isso, mas não tem o que falar dos seus textos, eles me deixam sem palavras. Beijos.

    ResponderExcluir

Não estamos mais em 1968.